top of page

Newsletter #7

Atualizado: 7 de jul. de 2023

Confira abaixo a notícias e matérias destacadas pela nossa equipe nas últimas semanas.


1) Temporada de incêndio florestal é a pior da história do Canadá: Fumaça se espalha por todo continente da América do Norte e chega à Europa




Nas últimas semanas, circularam nas redes sociais a fumaça dos incêndios florestais que ocorrem no Canadá. Essa nova temporada é mais extrema e quebrou todos os recordes precedentes, com pelo menos 4,7 milhões de hectares de florestas queimadas. A anormalidade da situação é ilustrada pelos gráficos abaixo:


Cientistas alertam que a tendência é que esses incêndios florestais aumentem gradativamente, tanto em frequência, quanto em intensidade, especialmente à medida que as secas e o calor se tornem mais comuns e mais graves em todo o mundo.


2) A perda global de florestas tropicais aumentou 10% em 2022 segundo World Resources Institute

A perda de floresta primária tropical em 2022 totalizou 4,1 milhões de hectares, o equivalente à perda de 11 campos de futebol por minuto. Toda essa perda florestal produziu 2,7 gigatoneladas (Gt) de emissões de dióxido de carbono, o equivalente às emissões anuais de combustíveis fósseis da Índia. Dados de colaboradores do World Resources Institute apontam que quase metade da área desmatada (43%) ocorreu no Brasil, que perdeu cerca de 1,8 milhão de hectares de floresta


3) Ambientalistas mexicanos são assassinado no México


Álvaro Arvizu Aguiñiga foi assassinado nas instalações do Centro para la Sustentabilidad Incalli Ixcahuicopa (CENTLI), local onde trabalhava, localizado no município de Tlalmanalco, Estado do México. Além disso, os agressores ameaçaram sua esposa, que também é colega e colega de trabalho, bem como outro colaborador. Ambos foram anteriormente espancados e amarrados pelo grupo de agressores.


Anteriormente, na segunda-feira, 12 de junho de 2023, outro defensor dos direitos humanos, Cuauhtémoc Márquez Fernández, pesquisador em agroecologia e apicultura, sofreu um ataque em sua casa em Cañada del Agua, em Tlalmanalco. Apesar dos esforços médicos, Márquez Fernández morreu no hospital de Zentlalpan, no município de Amecameca, também no Estado do México.


A comunidade de defensores da água e da agroecologia no México exigiu justiça e proteção para aqueles que lutam incansavelmente para preservar e promover a sustentabilidade ambiental e os direitos humanos no país. O Centro Mexicano de Direito Ambiental (CEMDA) apresentou um relatório no qual documentou 24 assassinatos e pelo menos 582 agressões contra defensores ambientais e comunidades que defendem seu território. A esses números devem ser acrescentados os assassinatos de Álvaro Arvizu Aguiñiga (foto da esquerda abaixo) e Cuauhtémoc Márquez Fernández (foto da direita).



4) Ibama realiza a maior apreensão de barbatanas de tubarão do mundo. Empresa catarinense é responsável

Apenas uma empresa de Itajaí (SC) pretendia exportar 27,6 toneladas para a Ásia. Outra companhia, que tentava enviar 1,1 tonelada, acabou impedida no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Juntos, estima ainda o Ibama, os flagrantes equivalem a mais de 10 mil tubarões, entre eles de uma espécie ameaçada de extinção. As 28,7 toneladas foram apreendidas na semana passada, mas a autuação da empresa de Itajaí foi oficializada nesta segunda-feira (19/6). As barbatanas são de duas espécies: tubarão-azul (Prionace glauca) e tubarão-anequim, também conhecido como mako (Isurus oxyrinchus), que entrou para a lista das ameaçadas de extinção há pouco mais de um ano. Fonte: Metropoles.


5) Relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) aponta que o narcotráfico e organizações criminosas estão acelerando a devastação da Amazônia

O submundo do crime de ORCRIM’s na Bacia Amazônica exarcerbam outras atividades criminosas, como a extração ilegal de madeira, a mineração ilegal, a ocupação ilegal de terras, o tráfico de animais silvestres e outras, prejudicando o meio ambiente da maior floresta tropical do mundo. Os povos indígenas e outras minorias estão sofrendo as consequências dessa convergência de crimes, incluindo deslocamento, envenenamento por mercúrio e exposição à violência, entre outros. Os defensores do meio ambiente às vezes são alvos específicos de traficantes e grupos armados. Fonte: UNODC.


6) Mais de 500 baleias e golfinhos são mortos em temporada de caça nas Ilhas Faroe

O arquipélago, que faz parte do território da Dinamarca, foi alvo de uma matança de “temporada”. Desde maio deste ano, quando teve início a temporada de caça, conhecida na região como “grind”, cerca de 500 animais foram mortos, de acordo com números oficiais do governo autônomo do arquipélago, que faz parte do território da Dinamarca. As cenas sempre chocantes, de praias tingidas pelo sangue dos cetáceos, voltaram ao noticiário com força depois das últimas caçadas.


Tanto especialistas em vida marinha quanto ambientalistas admitem ser difícil impedir a matança no contexto atual porque ela não fere as leis locais que, pelo contrário, incentivam a caça sob a alegação de que existe uma regulamentação. Por isso, eles defendem a criação de dispositivos internacionais. Fonte: CNNBrasil


7) Desmatamento no Cerrado já atingiu novo recorde. Especialistas alertam que a destruição do bioma é ofuscado por outras pautas igualmente importantes


“O Cerrado é o bioma mais ameaçado do Brasil e talvez um dos mais ameaçados do mundo”, diz Yuri Salmona, geógrafo e diretor executivo do Instituto Cerrados, que explica que, por muitos anos, a Mata Atlântica esteve sobre grande risco, mas nas últimas décadas foi alvo de fortes esforços de conservação, ao contrário da área de savana.


Ao todo, 110 milhões de hectares do bioma (49% do total) já foram destruídos, sendo substituídos pelo cultivo extensivo de commodities agrícolas, principalmente soja, milho, cana-de-açúcar e algodão, ou usado para extração de matérias-primas voltadas à produção industrial.


Segundo especialistas, a destruição do Cerrado pode impactar diretamente na biodiversidade e no abastecimento hídrico não só do Brasil, como de outros países na região do Cone Sul. O Cerrado também tem um imenso valor para a diversidade de espécies. A ecorregião é responsável por um terço da biodiversidade do país, com mais de 11 mil espécies identificadas de plantas, além de 837 espécies de aves, 185 de répteis, 194 de mamíferos, 150 de anfíbios e 14.425 de invertebrados. Fonte


8) Colapso de barragem na Ucrânia: Inundações extensas podem ter consequências graves para a agricultura, a saúde e o meio ambiente.

Após a explosão da barragem de Kakhova no Rio Dnipro, em território controlado pelos russos desde a invasão da Ucrânia, desencadeará novos desastres humanitários e ambientais na região. Dezenas de milhares de cidadãos foram evacuados de forma urgente nas regiões afetadas, enquanto os russos bombardearam alvos civis e militares nas áreas inundadas.


A água das enchentes inundou grandes áreas de fazendas e terras aráveis, lavando as camadas superiores do solo, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente da Ucrânia. As enchentes podem levar os fertilizantes usados em terras agrícolas para o rio, onde podem afetar os ecossistemas aquáticos.

A súbita onda de água rio abaixo teve impactos imediatos e de longo alcance sobre os ecossistemas biodiversos. "Cerca de 160.000 animais e 20.000 aves estão ameaçados por causa da catástrofe".


A explosão da barragem também expõe ainda mais a usina nuclear de Zaporizhzhia, também sob controle do exército russo, uma vez que a usina utilizava água da reserva para esfriar seus núcleos. Talvez o mais preocupante seja a possível dispersão de compostos tóxicos. Mais de 150 toneladas de óleo de máquina da usina hidrelétrica de Kakhovka, que fica na represa, foram derramadas no rio Dnieper, de acordo com o Ministério do Meio Ambiente. De acordo com Krasnolutskyi, a água da enchente também levou lixo, juntamente com resíduos de construção e esgoto, para a bacia hidrográfica do Dnieper, onde poderia contaminar o suprimento de água potável. Fonte: Nature

9) Reportagem do Financial Times revela a discreta campanha dos EUA para defender o resultado da eleição no Brasil


Em meio a especulações generalizadas sobre uma tentativa de golpe, o governo Biden pressionou políticos e generais a respeitarem o resultado das urnas na eleição presidencial de 2022. Após diversos sinais e flertes do governo de Jair Bolsonaro para descredibilizar o resultado eleitoral, antecipando eventual derrota na corrida presidencial, autoridades dos EUA mobilizaram diplomatas e oficiais do Departamento de Estado para desmobilizar qualquer questionamento da credibilidade das urnas eletrônicas. A matéria também revela que importantes figuras do governo e do Alto Comando do Exército se sentiam cada vez mais desconfortáveis com os ataques de Bolsonaro à credibilidade eleitoral do país. Para os americanos a chance de um equivalente à “invasão do Capitólio” teria grandes chances de ocorrer com os ataques coordenados de apoiadores e autoridades envolvidas na gestão de Bolsonaro - como de fato viria a ocorrer no dia 8 de Janeiro de 2023. Fonte: Valor - Globo e Financial Times


10) Alemanha e França perseguem ativistas climáticos

O governo da França decidiu nesta 4ª feira (21/6) banir o grupo de ativistas climáticos Les Soulevements de la Terre (LST), sob a justificativa de que suas manifestações contra a crise climática representam uma ameaça à segurança pública. A ação acontece poucas semanas após as autoridades da Alemanha realizarem uma operação que resultou na detenção de ativistas sob acusação de fraude. As autoridades francesas classificaram a atuação como “ecoterrorismo”, o que motivou a decisão mais radical pelo banimento do grupo. Fonte: ClimaInfo.


11) Propostas sustentáveis

Destacamos também nesta semana algumas iniciativas relevantes de práticas sustentáveis que verificamos ao longo do mês. Algumas delas já foram destaque em nossas newsletter anteriores e agora foram também noticiadas em outros canais. Confira:



23 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page