top of page

Newsletter #6

Confira abaixo as notícias destacadas por nossa equipe nas últimas semanas:


1) Pauta ambientalista em tensão no Brasil: esvaziamento das competências do Ministério do Meio Ambiente e das Mudanças Climáticas e exploração de petróleo na Foz do Amazonas


Nas últimas semanas, observou-se muita tensão entre a tentativa do Congresso brasileiro de esvaziar as competências do Ministério do Meio Ambiente e das Mudanças Climáticas e do Ministérios dos Povos Indígenas através da MP 1154. A medida retira o Cadastro Ambiental Rural, a Agência Nacional de Águas e a gestão de resíduos sólidos e saneamento das competências do Ministério do Meio Ambiente e das Mudanças Climáticas. Além disso, remove do Ministério dos Povos Indígenas as atribuições sobre a demarcação de terras indígenas e a administração da FUNAI. Saiba mais.


Diversas organizações da sociedade civil, internacionais e instituições como o Ministério Público Federal se manifestaram contra a medida. Após aprovação da medida pelo Senado em apenas 48 minutos de discussão, o governo diz que vai buscar reverter o "esvaziamento". A Ministra Marina Silva ressaltou que a postura do governo perante a MP 1154 demonstraria um descompromisso com as pautas assumidas na eleição de 2022. Ainda segundo a ministra, a estrutura aprovada é muito similar à do governo Bolsonaro e as posturas do governo Lula até o momento não serão suficientes para manter a boa imagem "ambiental" do país no exterior. Confira.


O debate se agrava com a concomitante defesa de Lula sobre a exploração de petróleo na Foz do Amazonas. A presença de Marina no MMA e a tentativa de Lula de negar as consequências ambientais de tal projeto lembram muito o ocorrido com o projeto Belo Monte. Além disso, o projeto vai na contramão da pauta climática e dos projetos de transição energética que estavam presentes nos discursos do governo até então.


2) O aquecimento global não é mais um assunto para se preocupar no futuro. Os efeitos das mudanças climáticas afetam viagens de avião.


Estudos publicados na Revista Nature demonstram que as turbulências durante os voos de avião irão piorar. Os pesquisadores concluíram que os efeitos das alterações climáticas e da variabilidade na corrente de jato de nível superior estão a ser parcialmente obscurecidos pelo enfoque tradicional na velocidade do vento e não no cisalhamento do vento. Isso quer dizer que, na zona onde transitam aviões a variação nas correntes de vento vem se tornando mais frequentes e intensas e isso promove a maior ocorrência de turbulências. Confira a matéria aqui e aqui.


Destaca-se também que, nas últimas semanas, a França decidiu proibir os voos de curta duração/distância que podem ser feitas de trem dentro do país como medida para reduzir as emissões de carbono. Saiba mais aqui.


3) Ativistas climáticos do grupo Última Geração despejaram um líquido preto, feito de carvão vegetal, na Fontana di Trevi, em Roma.


Em mais uma ação promovida pelo grupo de ambientalistas “Última Geração” para conscientização acerca do ecocídio promovido pelos humanos, manifestantes entraram na Fontana di Trevi, um dos cartões postais de Roma e da Itália, para expressar sua revolta com as atuais políticas públicas sobre o tema. Confira


Também nas últimas semanas, as águas dos canais de Veneza, no norte da Itália, amanheceram tingidas de verde. As autoridades suspeitavam de ativismo ambiental, já que em 1968, o artista argentino Nicolás García Uriburu já havia tingido as águas do Grande Canal de Veneza de verde com um corante fluorescente durante a 34ª Bienal de Veneza para promover a consciência ecológica. Descobriu-se que a presença de fluoresceína na água, substância não tóxica, mas não se sabe ainda a causa.


4) A relação entre degradação ambiental e novas epidemias. Mais uma vez a ciência alerta a sociedade para os riscos da destruição da Floresta Amazônica.


Cientistas veem o Brasil como provável berço de uma futura pandemia. A rápida destruição da floresta tropical deixou 1,5 milhão de quilômetros quadrados de terra prontos para um microrganismo transmitido por morcegos infectar humanos. Confira


5) Recifes de corais são ecossistemas que, em um curto período de tempo, sofrerão com os efeitos das mudanças climáticas. Confira o projeto dinamarquês que busca sua preservação com obras de arte.


Um coletivo de artistas, uma ONG ambiental e um instituto de pesquisa se uniram para produzir estruturas que ajudem na revitalização da vida marinha na costa da Dinamarca. O piloto foi lançado em novembro de 2022, com a fixação de três obras no mar próximo ao porto de Copenhagen. As estruturas de forma irregular consistem em blocos empilhados que se iniciam no fundo do mar e ultrapassam em altura a superfície de água, tornando-se visíveis para quem observa da costa.


6) Transtorno, mortes e as mudanças climáticas: inundações na Itália, tempestade de areia no Egito e como os incêndios florestais na Austrália afetaram o Caribe.


Alguns números deste infeliz evento: 13 mortos, 13 mil desabrigados, 20 rios onde o nível da água transbordou seu leito e 280 deslizamentos. Além disso no final de semana do dia 20/05 o Grande Prêmio da Emilia-Romagna de Fórmula 1 foi cancelado em razão destas ocorrências. Estas inundações estão relacionadas com o Ciclone Mediterrâneo. Um dos efeitos das mudanças climáticas, conforme consta nos relatórios do IPCC, é o aumento da ocorrência e intensidade de eventos climáticos extremos. Confira


Confira o vídeo do @sambentley sobre algumas recentes iniciativas privadas e estatais que protegem a qualidade de vida.


Também no Canal de Suez, no Egito, esta semana, uma grande tempestade de areia bloqueou as rotas marítimas da região. A tempestade também causou danos e mortes no Egito. Confira.


Confira também matéria sobre como os incêndios florestais na Austrália afetaram o clima e agravaram ciclones no Caribe. Confira.



7) Água e peixes contaminados no Brasil


Estudo evidencia que 17<5 dos peixes vendidos na região dos estados abarcados pela Amazônia estão contaminados com mercúrio, um dos efeitos dos garimpos ilegais realizados na região. Confira.


O Joio e o Trigo também destacou dossiê que aponta a contaminação da água no Cerrado brasileiro por 9 tipos de agrotóxico. Confira.


8) Itamaraty boicotou agenda de Bolsonaro com líderes para evitar vergonha. Confira aqui a matéria completa.


No intuito de manter a estabilidade das relações diplomáticas construídas pelo Brasil ao longo do período democrático, os diplomatas do Itamaraty evitavam reuniões com líderes da comunidade internacional durante o Governo Bolsonaro. Nas oportunidades que o então Presidente do Brasil teve de se pronunciar em encontros que visavam esta interlocução entre o país e outros Estados, observou-se a tendência à propagação de discursos mentirosos e uma fraca desenvoltura no que toca à política internacional.



7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page