top of page
  • Foto do escritorRuptura

Newsletter #3

Confira abaixo os destaques da equipe do Ruptura nos últimos quinze dias. Clique nos títulos para acessar as matérias e notícias completas:


Após mais de 60 anos de luta da comunidade para recuperação do Rio Kissimmee, localizado na Flórida, Estados Unidos, especialistas apontam que um desastre foi evitado e que a vida selvagem voltou a se desenvolver. A reportagem do National Geographic destaca: pântanos restaurados fornecem corredores para animais selvagens maiores, como panteras e ursos da Flórida, e habitat para espécies ameaçadas de extinção, incluindo pardais gafanhotos. Ao armazenar água, eles também ajudam a evitar inundações durante as tempestades.


Nesta semana, destacamos a reação do governo à matéria do Joio e o Trigo. Segundo a matéria, a Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) anunciou que revogará a norma do governo de Jair Bolsonaro que libera exploração agropecuária de terras indígenas por não indígenas. A informação foi uma resposta à reportagem do Joio que expunha que a medida inconstitucional seguia vigente, quase cem dias após o início do mandato de Luiz Inácio Lula da Silva.


Formado por extratos vegetais e outros compostos naturais, o produto foi utilizado na limpeza de praias como Itapuama, na região Metropolitana do Recife. Um dos atributos da invenção é a capacidade de remover o óleo, sem afetar as espécies que vivem no entorno.


O aquecimento global não se manifesta de forma homogênea em todo o planeta. Segundo o relatório do IPCC, a temperatura de superfície global da Terra aumentou cerca de 1,1ºC desde o início da era industrial, mas esse aquecimento foi maior sobre áreas terrestres (1,6ºC) do que sobre os oceanos (0,9ºC) e algumas regiões estão aquecendo muito mais rápido do que outras.


Considerada uma solução promissora para a transição da matriz energética global para fontes limpas, a energia eólica também tem provocado conflitos por poder causar impactos negativos na biodiversidade e nas comunidades de lugares onde tem sido implementada.


Em um novo estudo, os cientistas conseguiram registrar os ruídos de estalo que as plantas fazem quando desidratadas ou sob estresse.


Estima-se que 931 milhões de toneladas de alimentos, ou 17% do total de alimentos disponíveis aos consumidores em 2019, foram para o lixo de residências, varejo, restaurantes e outros serviços alimentares.


Valny Giacomelli Sobrinho, professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais (DERI) da UFSM, desenvolveu um método que utiliza álgebra matricial para definir quais atividades econômicas devem integrar o chamado “Mercado de Carbono”. Seu trabalho foi publicado no Journal of Cleaner Production.


Nosso colaborador, Diego Pereira, te ajuda a entender um pouco melhor sobre os fundamentos do conceito de Justiça Climática pelo #AGUEXPLICA



27 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page