top of page
  • Foto do escritorArtur Bernardo Milchert

“Mad Max: Fury Road” e “Blade Runner 2049”

“Mad Max: Fury Road” e “Blade Runner 2049” são filmes que não necessariamente dizem respeito à emergência climática, entretanto, a sociedade distópica criada como mundo para a ocorrência da história são bons indicativos de como a atividade antropogênica pode influenciar o ambiente e a humanidade de forma abrupta.



A primeira sugestão, Mad Max: Fury Road, retrata um cenário futuro em que o petróleo e a água são bens de consumo escassos e que provocam disputas entre pequenos povoados. Outro aspecto de destaque do filme é como esta escassez afeta a formação dos indivíduos no sentido da integridade física e do desenvolvimento de doenças na sociedade.


No filme, Max Rockatansky (interpretado por Tom Hardy) é um viajante solitário que se une a Furiosa (Charlize Theron) e a uma rebelião para lutar contra o tirânico líder Immortan Joe (Hugh Keays-Byrne) e sua gangue de guerreiros em um combate épico pelo controle de recursos escassos. Com ação intensa e visualmente deslumbrante, o filme é um tributo à franquia "Mad Max" original e uma aventura emocionante em si mesma.


Ainda sobre o filme MAD MAX vale a pena conferir o capítulo "(ECO)FEMINISMO CAMPONÊS E RESISTÊNCIA DAS MULHERES NO FILME “MAD MAX: A ESTRADA DA FÚRIA” (2015) " no IV Volume da coleção "Mulheres e meio ambiente: nosso papel fundamental" organizada pelo Ruptura.



Já o mundo criado em "Blade Runner 2049" é uma visão distópica do futuro, onde a humanidade é governada por grandes corporações e onde a poluição e a superpopulação tornaram a Terra quase inabitável. A sociedade está dividida entre os humanos ricos e poderosos que vivem em colônias espaciais e as classes mais baixas que lutam por sobrevivência nas ruínas da antiga cidade de Los Angeles. Replicantes, humanos sintéticos criados para trabalhar em condições perigosas, são amplamente utilizados e oprimidos pela sociedade humana.


O clima é escuro e opressivo, refletindo a luta constante pela sobrevivência e o poder no mundo apresentado. O design de produção é impactante, com cenários futuristas e tecnologias avançadas que criam uma atmosfera sombria e épica.


No filme, o Blade Runner K (interpretado por Ryan Gosling) é enviado em uma missão para encontrar e eliminar um replicante rogue que está escondido há 30 anos. A jornada de K o leva a descobrir uma descoberta surpreendente que ameaça mudar o equilíbrio de poder entre os humanos e os replicantes, levando-o a se juntar a um antigo Blade Runner, Deckard (interpretado por Harrison Ford), em uma perseguição pelas ruínas de Los Angeles para desvendar a verdade por trás da descoberta.

Com uma direção artística, visuais impressionantes e trilha sonora eletrizante, "Blade Runner 2049" é uma continuação digna do clássico de 1982 "Blade Runner".


Para você, qual filme de ficção também faz uma crítica ao modo insustentável de vida dos dias atuais?




15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page